O que é Monero e como funciona? Entenda de uma vez!

O que é Monero e como funciona

Monero é uma criptomoeda lançada em 2014 semelhante ao bitcoin, e se caracteriza por dificultar ainda mais o rastreamento de transações e, diferente de outras moedas digitais, não surge a partir do código do bitcoin. Usando um novo protocolo chamado CryptoNote, criado do zero.

Mesmo com números inferiores em relação a algumas outras criptomoedas, promete-se ganhar força no mercado por conta da segurança que ela oferece aos seus usuários. Com as constantes atualizações das criptomoedas e o seu grande crescimento no valor, isso fez com que vários hakers começassem a procurar formas de burlar o sistema e roubar criptomoedas.

Principalmente com o aparecimento do vírus Adylkuzz, que explora principalmente uma falha que há no sistema Windows, assim, esse malware atua de forma diferente dos vírus mais convencionais, que sequestram os dados dos usuários e pedem um resgate para devolver o que foi pego.

Isso faz com que os investimentos em Monero sejam cada vez maiores, exclusivamente por conta da segurança que essa criptomoeda oferece aos clientes, mesmo utilizando a tecnologia blockchain que é vista no bitcoin.

Como funciona o Monero (XMR)?

Assim como o bitcoin, o Monero tem sua estrutura na blockchain. No entanto, ela leva a privacidade dos dados de usuários ainda mais a sério e dificulta o rastreio dos valores enviados de uma pessoa para a outra. Com isso, cria uma espécie de senha que muda a cada transação e os valores transferidos só são visualizados por quem tem acesso a essa chave, tornando o localização dos donos mais difícil.

E também impede a identificação de quem transferiu os valores, já que deixa público somente um identificador não vinculado à carteiras virtuais como no Bitcoin e esses identificadores só são desbloqueados pelo dono com a senha secreta da transação.

Ao fornecer um alto nível de privacidade, cada unidade da moeda pode ser substituída por outra unidade. Isso faz com que o Monero seja diferente de muitas criptomoedas com livros de contabilidade públicos, como o Bitcoin, onde endereços com moedas previamente associadas com atividades indesejadas podem ser colocados em uma lista negra, fazendo com que suas moedas sejam recusadas por outros usuários.

Em particular, as assinaturas em anel misturam o endereço do remetente com um grupo de outros, fazendo com que seja exponencialmente mais difícil se estabelecer uma relação entre cada transação subsequente. Além disso, os endereços stealth gerados para cada transação tornam impossível que qualquer observador externo descubra o endereço do recipiente da transação. Por fim, o mecanismo das transações confidenciais em anel esconde a quantia sendo transferida.

Principais vantagens do XMR

  • A anonimidade. As informações sobre o proprietário da cripto-carteira não são reveladas publicamente;
  • A proteção. A moeda não pode ser copiada, mas em parte isto leva às dificuldades com a mineração para o qual, por esta razão, é preciso equipamento;
  • Grande número de participantes da rede. O número de utilizadores é suficiente até para que uma relativamente grande operação não seja visível no número geral de transações;
  • A proteção de assaltos quase ideal. Os hackers que não têm informações sobre o resto das contas enfrentam-se a ainda maiores dificuldades que no caso do assalto de outras criptomoedas.

Principais desvantagens do XMR 

  • Há risco de falha/bug no software;
  • A quantidade de moedas em circulação não é auditável;
  • As transações são muito grandes, limitando a escalabilidade. Devido à sua tecnologia de privacidade, as transações na rede Monero são maiores do que as transações em criptomoedas não-privadas., como o Bitcoin;
  • Existe um risco de vulnerabilidade à computação quântica;
  • A má reputação pode limitar o uso: muitos consideram a privacidade como um direito humano, no entanto, muitos governos e diversas pessoas do público em geral não tem essa mentalidade e defendem que a privacidade é algo necessário apenas para aqueles que têm algo de errado a esconder.

O que é monero

Qual preço do Monero (XMR) hoje?

Confira abaixo o valor do Monero em tempo real:

.

Como investir em Monero?

Pode-se investir em criptomoeda e em Monero abrindo uma carteira na bolsa e investir através de Dólar (USD) ou Bitcoin (BTC), através de carteiras “frias”, ou dedicar-se à mineração: os pools verificados (grupos de mineradores que cooperam entre si e que concordam em dividir recompensas de bloco em proporção ao seu poder de hashing de mineração contribuído) podem ser encontrados no site de Monero, carteiras ou serviços de nuvem para a mineração devem ser buscados independentemente.

Como há muita controvérsia com a utilização dessa criptomoeda, é preciso pensar duas vezes antes de iniciar os seus investimentos, pois iniciantes podem encontrar outras alternativas mais seguras e mais interessantes.

Como comprar Monero no Brasil?

No Brasil é possível comprar a criptomoeda Monero sem problemas, e é muito simples. Primeiramente, você precisa comprar Bitcoins através de uma exchange brasileira; depois, você precisa transferir esses Bitcoins comprados para uma exchange estrangeira que negocie Monero; assim, nessa nova exchange, você compra utilizando os Bitcoins que você possui.

Por ser uma moeda com caráter anônimo, é preciso informar que não são todas as carteiras digitais que aceitam a XMR. Para isso, a busca por uma Wallet específica é necessária. A recomendação mais comum é a utilização da carteira digital MyMonero, que é especializada para esta criptomoeda.

Para compra dessa moeda virtual, o mesmo acontece. Sites como Monero For Cash costumam ser a opção para aqueles que estão em busca de transações com a XMR.

Comments (No)

Leave a Reply